domingo, 7 de fevereiro de 2010

Loucos, esses que escrevem por amor...

Viajo por esta casa de paredes brancas sem corpos visíveis,
onde louco corro para me reencontrar no aroma do teu corpo ardente,
dono de formas suaves e transparentes abres e celas portas no meu coração e numa paisagem incerta vens gravar o tempo que cai gota a gota de suor queimado que se ajusta ao bater lilás...
NÃO! ao bater beringela gravado nessa memoria passageira que fica em camadas do novo colorido da minha vida.
Vem trazer-me musica húmida ao meu abrigo feito ilusionista, registando o amor que aqui trago em mensagem repetida nessa polaroid que conservas sem rolo e onde me pintas de dia e noite... e assim sou eu quando entro em casa e te persigo.

Um dia trago-te para minha casa mesmo contra vontade!



2 comentários:

pinguim disse...

Por onde tens andado?
Mas que grata surpresa...
Abraço.

Mike disse...

Por onde tenho andado... por tantos sitios...

Enviei msg... ainda tens o mesmo numero?

Abração